Tubulações feitas com as SPIN Tools pode "lidar" com segurança com refrigerantes de alta pressão?

Sim, as SPIN tools não alteram significantemente a espessura da parede do tubo, então se o tubo tiver as especificações corretas para fluídos de alta pressão, nada altera. Por favor leia também esta pergunta para mais detalhes sobre espessura do tubo.

É possível utilizar as SPIN Tools em tubos de alumínio?

Sim.

É possível utilizar as SPIN Tools em tubos de aço?

Não recomendamos o uso, os testes ainda não produzem resultados satisfatórios.

É possível utilizar os Flangeadores SPIN em tubos de cobre rígido?

No segmento de refrigeração e ar-condicionado, não é comum fazer flanges em tubos de cobre rígido, então as ferramentas SPIN não foram projetadas para fazer flanges em tubos de cobre rígido.

As Alargadoras SPIN trabalham tanto com cobre flexível quanto com cobre rígido?

Sim.

Qual a diferença entre os métodos convencionais e o método SPIN?

1) Precisão: os flanges serão sempre do mesmo tamanho e irão servir perfeitamente;  os alargadores apresentam uma profundidade e um encaixe bem justo, o que facilitará a brasagem e reduzirá o efeito de fadiga mecânica na área do encaixe;
2) Qualidade: o flange/expansão irá manter sua ductibilidade, o que vai garantir melhores encaixes em todos os casos;o processo também protege o tubo contra rachaduras e consequentemente, vazamentos;
3) Tempo: O método SPIN é mais rápido; o método convencional é moroso e cheio de etapas;
4) Ergonomia: a furadeira faz toda a força, tornando todo o processo o mais ergonômico possível . O método convencional requer normalmente algum grau de esforço manual desnecessário.
5) Simplicidade: As SPIN Tools apenas precisam de uma furadeira/parafusadeira onde serão acopladas. Na maioria das vezes as ferramentas mais convencionais são formadas por um monte de partes, como  os moldes, juntas, braçadeira, morsas, barras, borboletas, ferrolhos, porcas, réguas, etc., que precisam ser montadas, então manualmente apertadas, depois manualmente desapertadas, etc..

Por que é recomendado aquecer a ponta do cano (cobre rígido) antes de fazer uma expansão com SPIN?

Os canos utilizados em encanamento são normalmente feitos de cobre rígido, então para obter um resultado mais rápido e um processo facilitado, aquecer a ponta do tubo vai facilitar o processo. Aquecer o cano com um maçarico por alguns segundos já funciona, principalmente em casos de canos de 5/8″ para cima.

https://www.youtube.com/watch?v=rdvCpSbmTGs

Os Flangeadores SPIN produzem flanges com ângulo de 45°?

A resposta é não… e sim.

O Flangeador SPIN produz inicialmente um flange de aproximadamente 40°. que vai então tomar seu formato final, indo de 36° até 47°, assim que é prensado entre a válvula e a porca, com a ajuda de uma chave inglesa. Melhor ainda, não só o ângulo irá criar uma vedação de melhor qualidade, devido ao encaixe perfeito entre as partes, mas também irá evitar completamente rachaduras e vazamentos, devido ao processo de recristalização que vai preservar a ductibilidade do cobre durante todo o processo.

Assista o vídeo para saber mais:

https://www.youtube.com/watch?v=ratbFppPPb4&t=32s

Surgiu uma elevação ou caroço na área próxima ao flange, que impede a porca de alcançar o flange. O que posso fazer?

Por favor atente se uma ou ambas as situações abaixo está ocorrendo:

Alinhamento incorreto entre a ferramenta e o tubo; para verificar isto, certifique-se de manter o tempo todo, nas entrada e na saída da SPIN na extremidade do tubo, o posicionamento alinhado, evitando mover a furadeira para cima ou para baixo.

Verifique se o tubo está ovalizado; tubos ovalizados causariam problemas mesmo com ferramentas convencionais, não permitindo a passagem suave da porca.

As porcas utilizadas não atendem perfeitamente os padrões. Você pode verificar isto apenas passando a porca no tubo ANTES de fazer o flange, como faria normalmente. Se a porca tiver dificuldade de passar no tubo, ela provavelmente não atende os requisitos e qualquer alteração nas estrutura (mesmo se fosse feita por ferramentas de flangeamento convencionais) causaria ainda maiores dificuldades em passar a porca. Neste caso, substitua a porca por outra de melhor qualidade e que atenda o padrão da indústria.

 

Video:

https://goo.gl/py2KNN

Documentação:

https://goo.gl/E8jdEJ

É dito que o Flangeador SPIN cria uma área de contato maior entre o flange e a válvula. O que isto significa?

O Flangeador SPIN cria a área de contato exata entre a porca e a válvula (ou outro acessório), porque o flange estará apto a se adaptar perfeitamente à porca assim que for apertada no lugar.

A ductilidade é preservada pelo método SPIN, então quando a porca é apertada, unindo as partes, as paredes do tubo se adaptarão tanto à válvula quanto à porca, sem deixar nenhum espaço vago entre elas.

Em outros métodos, não é incomum que a ponta com o flange não se adapte perfeitamente entre a porca e a válvula, se é muito curta e deixa um vão, vazamentos podem ocorrer; se é muito longa, vai bloquear a correta passagem da porca.

https://www.youtube.com/watch?v=ratbFppPPb4&t=32s

O que acontece se o flange leva mais de 5-7 segundos para ser feito?

Normalmente 5-7 segundos é o suficiente para tubos até 5/8″, porém pode levar um pouco mais de tempo para tubos acima deste diâmetro.

Não há problemas se levar mais que 10 segundos, porém é importante para a perfeita execução do flange ou expansão que se certifique de empurrar a ferramenta SPIN dentro do tubo até o fim até que o batente encoste no tubo, mesmo que isto leve mais de 5 segundos.

Porém se está levando um pouco mais de tempo para que isso aconteça (por exemplo o dobro do tempo), pode ser que sua furadeira esteja abaixo dos requerimentos mínimos de performance para ser utilizada em conjunto com as ferramentas SPIN.

Por que não é recomendado utilizar as ferramentas SPIN com o MODO IMPACTO/MARTELETE ligado?

As pancadas percussivas do Modo de Impacto/ Modo Martelete não vai oferecer a fricção necessária para elevar a temperatura e recristalizar o cobre.

Além disso, vários efeitos colaterais, como por exemplo abrasão irregular, “calombos” no cobre, cobre descascado e produção elevada de detritos e rebarbas, além de flanges e expansões de formato inadequado, quando as ferramentas SPIN são usadas em conjunto com furadeiras ou parafusadeiras com o modo IMPACTO ligado.

Saiba mais:

https://www.youtube.com/watch?v=UkTaIrWpf-c

O que acontece quando eu uso as Ferramentas SPIN com uma furadeira/parafusadeira com menos potência que o recomendado (12V, por exemplo)?

Normalmente equipamento 12V não tem a potência mínima requerida, que é 500 watts, ou a velocidade mínima de 1,800 RPMs.

A chave para obter os melhores resultados no uso das Ferramentas SPIN é combinar os benefícios da velocidade de rotação com potência. Se você acabar usando as Ferramentas SPIN com furadeiras menos potentes ou menos rápida que o recomendado, provavelmente irá demorar mais para fazer um flange ou expansão, porque irá demorar mais para aquecer o tubo. E muito provavelmente, haverá ocorrência de sujeira dentro do tubo, depois de moldado na forma desejada.

Não recomendamos usar as ferramentas SPIN com furadeiras elétricas com menos que os requerimentos indicados, porque as ferramentas SPIN foram projetadas para fornecer  flanges e expansões de grande qualidade com rapidez e mínimo esforço, e utilizando a ferramenta com furadeiras que não possuam os requisitos mínimos não permitirá que a ferramenta alcance seu melhor desempenho.

Eu posso usar as ferramentas SPIN com furadeiras/parafusadeiras de Impacto?

Não.

Como o Modo de Impacto causa vários problemas aos Flanges e Expansões feitos com as Ferramentas SPIN, devido à seu método de trabalho por concussão, não recomendamos o uso em conjunto das Ferramentas SPIN com Impact Drivers (Parafusadeiras de Impacto). Parafusadeiras/furadeiras que que possuam dois modos de operação devem ser usados somente no modo rotatório.

Estudos iniciais demonstram que hastes hexagonais que possuam apenas 1/4″ de diâmetro (como as hastes que cabem em uma furadeira de impacto), mesmo no modo de rotação, não suportarão o estresse mecânico  imposto e  provavelmente quebrarão após alguns usos, operando na velocidade de 1,800 RPM  e acima, principalmente em diâmetros maiores como 3/4″, 7/8″ e acima. Para evitar este possível problema, as hastes das ferramentas SPIN são mais grossas e reforçadas, capazes de resistir ao estresse mecânico e a mais de 100.000 usos, embora não possa ser atarraxada à maioria das impact drivers/furadeiras de impacto que utilizam bocais para 1/4″.

As Ferramentas SPIN, no entanto, vão funcionar perfeitamente em furadeiras/parafusadeiras com bocais universais.

Saiba mais no vídeo abaixo:

 

https://www.youtube.com/watch?v=UkTaIrWpf-c

Quais são os tipos de ferramentas elétricas compatíveis com as Ferramentas SPIN ? Quais são os requisitos mínimos de potência e rotação?

As ferramentas SPIN cabem em quaisquer tipos de furadeiras e parafusadeiras elétricas de bocal universal (exceto exclusivas para 1/4″), e mantêm o desempenho conquanto que as especificações mínimas da furadeira sejam alcançadas.

Como as Ferramentas SPIN exigem boas taxas de rotação, recomendamos a escolha de ferramentas com no mínimo 1.800 RPM, para melhores resultados. Em relação a watts de potência, aconselhamos o uso com ferramentas que operem a 500 watts pelo menos. Estes atributos serão facilmente encontrados numa ampla gama de furadeiras/parafusadeiras encontradas no mercado, desde as mais baratas até as mais caras.

Eu ainda preciso limpar a tubulação com nitrogênio antes/depois de usar as ferramentas SPIN?

Todos os procedimentos de limpeza requeridos pelos fabricantes deve ser seguido, independente do método ou ferramenta que você esteja utilizando.

É necessário usar morsas ou braçadeiras para segurar o tubo enquanto estiver fazendo o flange ou expansão?

Não, não existe necessidade de morsas ou braçadeiras, contanto que o tubo esteja estável o suficiente para a aplicação. Segurar firmemente normalmente é o suficiente, porém se você possui uma furadeira com muita potência, talvez não seja o suficiente. Nesses casos, para tubos curtos, nós recomendamos fazer a expansão antes de cortar o tubo da panqueca de cobre, por exemplo. Isso vai fornecer melhor estabilidade e vai exigir menos esforço do usuário para manter o tubo firme. Se o outro lado também vai necessitar de outro flange ou expansão, talvez você possa usar uma braçadeira para mante-lo firme. Para tubos de maior extensão, não há a necessidade de nenhum tipo de suporte ou morsa.

As ferramentas SPIN conseguem fazer flanges e expansões em tubos com paredes mais grossas?

As ferramentas SPIN estão preparadas para fazer flanges e expansões em tubos com a espessura de parede entre 0.8mm e 1.0mm para diâmetros de até1/2″ e até 1.00mm para 7/8″.

Desejamos reforçar que o uso das Ferramentas SPIN em tubulações com espessura de parede muito superior a estas especificações, que são as utilizadas no segmento de refrigeração, podem apresentar deformações e problemas na montagem.

Cheque nossa documentação para mais detalhes.

O uso das ferramentas SPIN afeta a espessura do tubo?

Todo tubo que tenha seu diâmetro expandido, com qualquer tipo de ferramenta (mesmo flangeadores e expansores convencionais), vai sofrer um esticamento do material, afetando diretamente a espessura da parede. Isso tem menos a ver com a abrasão mínima causada pelo contato da ferramenta SPIN contra o tubo, do que com um esticamento natural, causado (no caso da SPIN) pelo calor que torna o tubo deformável o suficiente para ser torneado pela Ferramenta SPIN. De qualquer modo, algumas junções (como no caso das expansões) normalmente requerem soldagem ou brasagem logo após. A adição do material de preenchimento reforça a parede do tubo na área soldada, resultando em maior resistência ao estresse mecânico, sem a necessidade de acessórios extras.

Quando eu uso as ferramentas SPIN, devo deixar de usar o rebarbador?

Usar um rebarbador antes de fazer o flange com a ferramenta SPIN é totalmente opcional. Este passo é normalmente adotado para prevenir rachaduras que podem ocorrer quando se utiliza as ferramentas tradicionais, que moldam o tubo trabalhando o metal a frio. As ferramentas SPIN, no entanto, moldam o tubo pelo método à quente, através do calor gerado pela fricção. Este processo  preserva a ductilidade do cobre, evitando o encruamento da área do flange.

O fato de que o cobre é mantido recozido e maleável fornece um perfeito encaixe entre a porca e a válvula (ou outros acessórios) fazendo sua aplicação mais fácil e sem esforço quando comparada com flanges feitos pelo método a frio.
Algumas vezes, o uso das ferramentas de rebarbar pode ser exigida após o flange estar pronto, para remover quaisquer rebarbas que possam ter ficado , geradas pelo uso de cortadores de tubos com lâminas cegas ou com falta de corte preciso.

https://youtu.be/hTCoOS0A8FI

A ferramenta produz algum tipo de limalha, impurezas e rebarbas dentro do tubo?

Impurezas ou mesmo limalhas de metal podem ocorrem seja usando ferramentas convencionais de flangear ou as ferramentas SPIN, devido:

  • A maneira que o cobre é cortado;
  • A qualidade da liga usada na fabricação do tubo;
  • a afiação da lâmina do cortador de tubos utilizado;
  • Usar ou não rebarbador após.

 

Então, outras variáveis influenciando a produção de impurezas é que impactam na geração de limalhas, do que realmente o tipo de ferramenta utilizada.

É importante seguir as recomendações do fabricante quanto à limpeza do tubo.

 

https://youtu.be/hTCoOS0A8FI

Existe algum tipo de recomendação especial ao se utilizar as ferramentas SPIN em tubos de alumínio?

Nâo é exigido,porém recomendado lubrificar o tubo com óleo ( o mesmo óleo utilizado no compressor já serve), antes de fazer o flange ou expansão, pois assim a ferramenta causará menos abrasão nas paredes do tubo de alumínio.